Boas práticas nas redes sociais. Evitando crises e mal-entendidos

Mostrar registro simples

dc.contributor.author Secretaria de Comunicação Social pt_BR
dc.date.accessioned 2019-01-30T16:40:44Z
dc.date.available 2019-01-30T16:40:44Z
dc.date.issued 2017
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/11549/169831
dc.description.abstract O uso das redes sociais vem transformando a comunicação interpessoal e também o diálogo na esfera pública estabelecido entre cidadãos, órgãos públicos, empresas, movimentos sociais e outros atores. A interação digital abre novas e inúmeras oportunidades de comunicação: possibilita a melhoria da prestação de serviços, contribui para a ampliação do acesso à informação e para a efetividade da transparência, primora debates e, sobretudo, aproxima o público das instituições. O uso de dispositivos móveis, como tablets e smartphones, ampliou ainda mais o acesso às redes. É comum que as pessoas se mantenham conectadas mesmo em horário de trabalho. Tamanha interação traz a necessidade de reflexão sobre a maneira mais adequada de uso dessas ferramentas de comunicação. É necessário estar atento à exposição de conteúdos em redes sociais. Ao emitir uma opinião, publicar uma foto, curtir ou compartilhar postagens, o usuário está construindo a sua identidade perante familiares, amigos e colegas de trabalho. Nas redes sociais, costuma-se dizer: você é o que você posta. Nas descrições dos perfis individuais nas redes, são citadas preferências musicais ou literárias, profissão, universidades frequentadas, entre outras informações pessoais. É comum a autoidentificação de membros e servidores do Ministério Público Federal como integrantes da instituição. Assim, a divulgação de conteúdos nas redes sociais pode afetar, além da imagem pessoal de quem publica, a imagem da instituição de forma positiva ou negativa. Para aqueles que exercem funções públicas, o cuidado no uso das redes sociais deve ser redobrado. Mas, quando o agente público se identifica como membro do Ministério Público Federal, a imagem da instituição fica atrelada ao perfil. Neste capítulo, trazemos algumas orientações para o uso de redes sociais por servidores e membros. Orientações específicas para procuradores estão destacadas no quadro #FicaDica. pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.subject # pt_BR
dc.subject Uso das redes sociais pt_BR
dc.subject Orientações gerais para uso das redes sociais pt_BR
dc.subject Linguagem pt_BR
dc.subject Hashtags pt_BR
dc.subject Menção a outros perfis pt_BR
dc.subject Opiniões pessoais pt_BR
dc.subject Inclinação política pt_BR
dc.subject Boatos pt_BR
dc.subject Grupos privados pt_BR
dc.subject Uso de dispositivos da instituição pt_BR
dc.subject Tuitar pt_BR
dc.title Boas práticas nas redes sociais. Evitando crises e mal-entendidos pt_BR
dc.type Outros pt_BR
dc.contributor.sector PGR - Procuradoria-Geral da República pt_BR


Arquivos deste item

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta